terça-feira, 30 de novembro de 2010

Arrependimento


 
De todos os fardos, nenhum é mais penoso do que o arrependimento. Especialmente porque ele é fruto de alguma culpa nossa. É a consequência de algo que em algum momento esteve sob o nosso controle, mas que a gente perdeu. Diferentemente da tristeza, do medo, da raiva, que ocorrem alheios a nossa vontade ou poder, o arrependimento é todo nosso. É da nossa conta, da nossa responsabilidade. Além do mais, ele nunca chega sozinho. De brinde, vem um monte de problemas.

Uma decisão mal tomada, uma palavra em vão, uma ausência, um instante de bobeira, um vacilo, uma canalhice. Ah, ninguém passa ileso. Não há muito o que fazer. Quando o arrependendimento bate, em geral, é tarde.

Um comentário:

  1. Quero ver você não chorar, não olhar pra trás, nem se arrepender do que faz...
    Te amo!
    Beijo do blogueiro ao lado.

    ResponderExcluir