segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Dúvida




Dúvida é um tipo de pensamento que ocorre quando você não sabe algo ou quando não tem certeza. Costuma se manifestar em forma de pergunta, especialmente se você estiver interessado em esclarecer a questão. Pode soar um tanto óbvio, mas pense um pouco e verá que não é. Temos todos uma infinidade de dúvidas. Há muito para se conhecer nesse mundo, mas o curioso é que muitas dessas dúvidas nunca serão investigadas. Simplesmente não sabemos, sabemos que não sabemos e não nos esforçamos para saber. Ficamos com a dúvida, por isso não obrigatoriamente ela seja uma interrogação. É uma incógnita.

Por outro lado, existem situações que nos fazem coçar a pulga atrás da orelha. Quando comecei esse blog, por exemplo, estava com vontade apenas de partilhar ideias, esgotar parte das palavras que atormentavam minha mente. Dadas as atuais circunstâncias da minha vida, não seria possível usar o tradicional e prazeroso método de encontrar os amigos para uma rodada de pizza, cerveja, histórias e risadas. Tampouco resolveria alugá-los ao telefone. Não é a mesma coisa e sai bem mais caro. Além disso, sair para encontrar os amigos é um evento marcado, combinado, em comum acordo de conveniência. Fazer um telefonema não.

O leitor pode bem questionar as minhas razões. Eu o faço às vezes. De qualquer modo, fico ainda com a dúvida. Hoje, porém, esse não é o objeto central da minha divagação. O fato é que sempre fiquei meio desconfiada desse sistema estatítisco do blog. Como funciona? Será que é confiável? Por que alguém da Croácia acessaria minha página? Muitas foram as minhas dúvidas desde a minha "iniciação". Por fim, a que me consome há alguns dias é: por que tenho recebido tantos acessos ao post "Afronta"? 

De todas as postagens, essa seja talvez a mais boba. É aquela que não gostei muito, mas foi assim mesmo. Não tem propriamente uma função. É o relato de um fato cotidiano, até meio sem graça. É superficial, vago. Bobo. A receita do final é ótima, essa eu garanto, mas só isso. Então fico pensando: por que diabos tanta gente entra pra ver esse post? Será que é somente por causa da foto de uma suculenta picanha, que aparece em qualquer busca simples no Google imagens (onde eu a encontrei, inclusive)? Seriam os advogados do dono da churrascaria ou do próprio fotógrafo, avaliando a possibilidade de exigir uma indenização pelo uso não autorizado da fotografia? Seria uma legião de vegans escandalizados por eu ser carnívora? Ou quem sabe o meu açougueiro, que finalmente descobriu o que faço com picanha moída e resolveu divulgar na rede? Devo retirar esse post, para que não pensem que sou tão pouco? Ou seria melhor fazer uma revisão? E volto ao problema inicial: será que esse sistema estatístico do blog presta?

Passo a tarde nesse processo e decido lançar a minha campanha para a salvação: uma dúvida puxa outra. E a humanidade se desenvolve. 

Um comentário:

  1. Elementar minha cara Naminho,
    Os croatas adoraram a receita!
    Just it, hehehehe
    Beijão!

    ResponderExcluir