terça-feira, 1 de março de 2011

Descontrole



Em um dia de fúria, um sujeito de mal com o mundo resolve colocar em prática toda a sua falta de paciência, de respeito pelo ser humano e de bom-senso. Em uma única ação, decide descarregar toda a sua intolerância, incapaz de calcular as consequências para si e para os outros - que nada têm a ver com os seus problemas financeiros, amorosos, psiquiátricos, enfim.

Por um instante, um indivíduo qualquer assume do conforto do seu carro o risco de brincar com a vida alheia. A explosão covarde de seus impulsos hostis causa dor, medo, trauma e lesões diversas. Promove a revolta, a indignação pública. Então me pergunto: é possível encontrar uma explicação razoável? Eu adoraria, porém ainda não consegui nenhuma que me convencesse.

Fico a imaginar o adolescente que estava ao lado desse homem. O que teria ele pensado ou sentido? Como integrar um evento como esse na história daquele a quem chamamos de 'pai'? Não pode haver castigo maior do que o olhar de vergonha e reprovação de um filho, mas que a justiça se encarregue do resto.

3 comentários:

  1. me pergunto se realmente o filho entende o tamanho disso tudo ou se simplesmente não pensa/age como o pai...

    ResponderExcluir
  2. Juro não saber o que é pior. Agradeço por não estar na pele desse garoto. Muito triste.

    ResponderExcluir
  3. Pois é, este mundo tá ficando cada dia mais esquisito. A história realmente é ciclica e cada fim de um tempo era acompanhado da barbárie... No nosso caso, resta saber se já estamos chegando no fim deste caos ou se isso é apenas o começo...

    ResponderExcluir