quarta-feira, 2 de março de 2011

Lá se foram dez anos


Dez anos se passaram. Que absurdo, nem vi! Você tem certeza de que eles foram nessa direção? Passaram mesmo debaixo do meu nariz? Parece que dormi aos vinte e acordei assim, completando trinta anos. Será que mordi uma maçã envenenada? Acho que não. A princesa não envelheceu.
Será que eu estive viajando então? Desculpe, não entendo. Sempre fui tão atenta. Não posso acreditar que deixei passar uma dessas. Dez anos. Agora posso contar a vida em décadas. Estou muito preocupada. Cadê a minha estabilidade? Malditos dez anos, passaram quietos porque ficaram me devendo! Só pode ser. Bom, ao menos também não fizeram muito estrago. A pele ainda está mais ou menos, está tudo quase no lugar.
O que devo começar a fazer? É, mentir a idade parece um início justo. Será que já está na hora de fazer umas luzes pra disfarçar os brancos? Sim, uma dieta será apropriada, dizem que o metabolismo muda... Vou aproveitar pra aumentar a barra da saia e colocar mangas nas blusas. Melhor esconder os pequenos (d)efeitos do tempo que acabei de notar. Amanhã de manhã vou correr. Quero me antecipar. Esse tempo pensa que me pega, mas na verdade ele me deixa. Temos dois caminhos: envelhecer ou morrer. Por enquanto estou na vantagem.

2 comentários:

  1. Amiga, nem me fale... sinto tanto que estes 10 anos passaram voando! Este mês faz 10 anos que conheci o Binho... uma loucura!
    Haja creme para tantas mudanças! Bj Mi

    ResponderExcluir
  2. De fato, como cantava o Cazuza, "O tempo não para".
    Não só não para, como por vezes passa de forma implacável, de tal modo que nem mais a "Poupança Bamerindus" se encontra entre nós.
    Conclamo, em homenagem a finada acima citada, um minuto de silêncio, heheheheh

    ResponderExcluir