segunda-feira, 30 de maio de 2011

Imperativo

Impressionante como os imperativos incomodam as pessoas, ainda que sejam só desabafos inofensivos e despretensiosos.

Tão ruim ser mal interpretada. Tão ruim ser criticada por escrever e discutir pequenos desejos, revoltas, dúvidas, fatos e modos de ser. Tão ruim passar a bola ao outro e levar um chute.

Escrever pode ser o próprio caminho trilhado para a felicidade. É uma forma de sentir, de vivenciar a realidade. É uma atividade íntima, particular, que não se destina a moldar o outro. E é exatamente por isso que não interfere na vida alheia e não impede ninguém de nada.

Adoro gente de opinião. Eu os respeito. Vá lá! Não me ofendo, eu me divirto com os rolos que arrumo. Na real, gosto é de toda a gente. Não sou pregadora. Aliás, tenho o telhado de vidro. Sejam todos muito bem-vindos. Às vezes posso soar pedante, arrogante, fútil, autoritária. Sou mesmo um pouco de tudo isso. Não me orgulho, mas admito. Pra quem não me conhece, pode parecer que sou só isso. Não se deixem intimidar por uma primeira má impressão. Sou legal, mas confesso que irrito. E quem não, afinal?

Estamos na paz. Uso meu blog para o (meu) bem. Não ganho dinheiro com ele, não quero ser famosa, não tenho e não invisto em muitos seguidores, não espero divulgação, não peço comentários. Escrevo para mim e para meus poucos amigos que visitam minha página, que conhecem as minhas histórias e sabem do que é e para quem é que estou falando. Só isso. Bem simples assim.

Não quero confusão. Se o que digo não lhe serve, espero que tampouco lhe incomode. São apenas pensamentos "em voz alta", não são conselhos. Não me levem tão a sério. Aqui tudo não passa de conversa fiada.  

4 comentários:

  1. Realmente é ruim ser mal interpretada, também nao gosto. Fica aquele dito pelo nao dito e nada claro. Gosto de pessoas claras e diretas, é mais difícil de encarar, mas é a verdade direta sem rodeios. Gosto de teu blog porque parece que vejo teus olhos falando comigo quando leio. As páginas da internet sao acessíveis a todos, e se alguem se incomoda com nossos escritos, pois nao visite. Se quer visitar, poderá se identificar... aí todos sao livres para escrever e para ler o que quiser... nósseguimos escrevendo, e falando de nossas vidas... adoro tua "conversa fiada"!

    ResponderExcluir
  2. É, Fabi, também penso assim. Não sei bem ao certo se era pra mim, que às vezes fico meio paranóide... Hahahahaha! De todo modo, acho muito nada a ver esse tipo de coisa, é ó típico mal-estar gratuito. Não acrescenta nada pra ninguém. Claro que a intenção do blog não é, nem de longe, dar lição de moral. Até me questionei se estava conduzindo meu blog por esse caminho. Quando comecei a escrever aqui foi porque estava em um momento de profunda solidão, longe da família, dos amigos, em uma cidade onde não conhecia nada nem ninguém, com duas crianças pequenas e com muitas coisas a dizer. Pra não infernizar os outros e não enlouquecer com tantos pensamentos, comecei a escrever. De lá pra cá muitas coisas aconteceram na minha vida e passei por momentos muito, muito difíceis, talvez os mais difíceis dentre os quais já me deparei. De repente, depois de tantos sentimentos dolorosos e depreciativos, depois de ter sido tão dura comigo, passei a ver a situação (e muitas outras situações também) com outro olhar. Claro que isso soa piegas, cafona, brega. Pode ter cara de fórmula da felicidade, mas não é. É tão e somente a expressão das pequenas superações que tive de enfrentar, mas também de todas as lambadas que levei. Não estou preocupada com o como as pessoas devem ser, agir ou pensar. Apenas digo no imperativo como eu gostaria mais que os outros fossem e isso todos os blogs fazem, porque não há como ser sem o outro e é exatamente aí que se criam as dificuldades das relações, sobre as quais tanto as pessoas falam. Enfim, de uns tempos pra cá reativei a tecla F***-se. Hahahahaha. Só aproveito o que me serve, o resto é o resto. Obrigada pelas palavras, amiga! Sempre bom ter você por 'perto'. =]

    ResponderExcluir
  3. Vim fazer uma visita e gostei deste post, entendo perfeitamente sobre ser mal interpretada e sobre ter um blog totalmente sem pretensão alguma... sobre ser mal interpretada...
    O que os outros pensam da gente tem mais a ver com o que eles sentem do que com o que realmente sentimos, pensamos e somos... deixa pra lá as interpretações equivocadas, é problema de quem se equivoca!
    Abraços, beijos e até logo!

    ResponderExcluir
  4. Luz da Lua! Seja bem-vinda! É muito desconfortante mesmo ser mal-interpretada. De tudo, entretanto, tem um lado bom, porque nos obriga a ver como é ruim estar do outro lado. Isso nos torna mais tolerante e respeitoso. (Mas que dá uma raiva, dá!). É uma pena que, por vezes, sejamos lançados a ver somente o pior do outro, no meio de tantas coisas legais que poderiam ter chamado a nossa atenção. Humanos... =]
    Obrigada pelo incentivo. Adorei o seu blog.

    ResponderExcluir