quarta-feira, 18 de maio de 2011

Relações Difíceis



Poucas tarefas são tão complicadas como a de manter relações interpessoais saudáveis em circunstâncias profissionais ou que não inspiram intimidade. Se no âmbito pessoal, que, em tese, temos mais abertura para expressar nossos sentimentos e pensamentos - principalmente porque temos mais liberdade para escolher as pessoas com quem convivemos - o esforço já é enorme, o que dizer dos relacionamentos que nos são impostos em ambientes formais.
Se conhecemos socialmente uma pessoa cuja companhia não nos agrada, simplesmente podemos evitá-la. Entretanto, o problema toma outra dimensão quando essa pessoa é alguém com quem você divide a sala de trabalho ou, pior, o seu chefe. Existem seres humanos intragáveis, instáveis, grosseiros, cruéis, confusos e não confiáveis. Somadas essas características, temos uma pessoa âncora, daquelas que não nos permitem evoluir, seguir em frente. Ao contrário, são uma trava, tornam tudo mais difícil, penoso, sem perspectiva. 
E não há escape. Não adianta trocar de trabalho, de cidade, de casa, de escola. Sempre haverá um vizinho insuportável, um colega com postura eticamente reprovável, um professor vaidoso, um chefe que não sabe o que quer. Tem horas em que a única pergunta que nos passa pela cabeça é: 'por que diabos estou aqui?'.

Infelizmente, contrariando os preceitos psicanalíticos das relações que escolhemos manter, dentro da nossa realidade política, social e econômica, as respostas costumam ser bem mais objetivas - porém não menos dolorosas. O fato é que às vezes não precisamos passar por certas relações desastrosas por nossas necessidades subjetivas, mas por dinheiro e falta de oportunidade mesmo, o que sinceramente parece ser muito pior.       

Um comentário:

  1. A vida em sociedade se tornou muito complexa nos tempos de hoje. A tal sociedade em rede implica numa gama imensa de relações interpessoais cuja com vinculo de dependência que implicam na convivência necessária com os mais desagradáveis exemplares da espécie humana... "Welcome my Son, Welcome to The Machine" (Pink Floyd)

    ResponderExcluir