terça-feira, 21 de junho de 2011

Pose

Eu queria ser uma dessas pessoas que mordem, cuja simples presença inspira autoridade. Eu queria sim. Queria não fraquejar, não tremer diante do medo. Queria impor a voz sem precisar dizer nada. Queria ter na testa o adesivo: "Cuidado! Cão bravo", mas com aquela cara de cachorro bozinho que causa alguma dúvida. E queria mesmo ser assim. Queria não me descabelar, não gritar nunca mais. Queria ser daqueles que matam no olhar, que causam pavor com o mínimo gesto. Queria ter a postura firme, o corpo forte. Não apenas. Queria tudo isso para surpreender. Para guardar um sorriso doce, palavras de gentileza e um abraço acolhedor. Preciso de um muro para agregar valor.    

quinta-feira, 2 de junho de 2011

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Elementais


Sobre gnomos e fadas.
Primeiro: odeio fadas;
Segundo: mastigo gnomos;
Terceiro: sou uma bruxa (verde, má, fedorenta e cheia de verrugas) e moro no pote de ouro do fim do arco-íris.

Tempo

Foto: Marrie Bot, 2004


Ouço pessoas que dizem: "no meu tempo...". Fico pensando: quando é que acaba o tempo da gente?

Criancices


Em alguns momentos do dia sou violentamente tentada por impulsos infantis, sabe, do tipo criancice. Emergem das entranhas umas mesquinharias, umas picuinhas, umas coisinhas assim-assim. Ainda bem que a gente pode controlar a boca fechada, ao menos às vezes.